PARCEIROS APOIADORES

Ex-preso de Guantánamo Jihad Diyab é localizado em hotel de Sant'Ana do Livramento


A Polícia Federal de Sant'Ana do Livramento escoltou até Rivera no Uruguai, na madrugada deste sábado (19), o ex-apenado de Guantánamo Jihad Diyab, que ficou mundialmente conhecido, após uma greve de fome em protesto contra sua extradição. Diyab reapareceu na Venezuela após abandonar o Uruguai, onde chegou em 2014 como refugiado junto a outros cinco ex-detidos de Guantánamo, após um pacto entre os governos de Montevidéu e Washington. Ele esperava ser enviado a Turquia ou a um terceiro país para se reunir com sua família.

O libanês, que está impedido de entrar no Brasil, foi localizado pela Polícia Federal hospedado em um hotel de Sant'Ana do Livramento, na região central da cidade. Diyab estava acompanhado por um palestino, de 39 anos, que tem empreendimentos comerciais em Rivera e também estava em situação irregular no lado brasileiro.

A Polícia Federal acredita que Diyab, que chegou à Livramento na sexta-feira (18), pretendia usar um passaporte falso para entrar no Brasil e sair em direção para Turquia, já que ele é especialista em falsificações de documentos.

Terrorismo

Nascido no Líbano, Jihad Diyab, que já tentou entrar no Brasil outras vezes, tem nacionalidade síria e foi preso em 2002 no Paquistão, por suspeita de ligação com o grupo extremista Al-Qaeda. Ele ficou preso durante 12 anos em Guantánamo, a prisão mantida pelos Estados Unidos em Cuba, sem nenhuma acusação formal, até ser enviado junto a outros cinco detentos a Montevidéu/Uruguai, onde recebeu status de refugiado. Seu impedimento de entrar no Brasil é em função de fazer parte de uma lista internacional de pessoas com ligações com o terrorismo.

Informações complementares: G1/Internacional

Foto secundária: Infoglobo