PARCEIROS APOIADORES

Operação contra pornografia infantil em 23 cidades do RS resulta em 21 prisões

A Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul através dos Departamentos Estadual da Criança e do Adolescente e de Investigações Criminais, em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), deflagrou no início da manhã desta quinta-feira (17), uma ação integrada denominada Operação Luz na Infância 2, com o objetivo de apurar crimes de exploração sexual contra crianças. Foram cumpridos 43 mandados de busca e apreensão em 23 cidades do RS.

Aproximadamente 200 policiais civis participaram da operação.

Além de 21 pessoas presas, também foi identificada uma criança na posse de material com conteúdo de exploração sexual infanto-juvenil. Foram oito prisões em Porto Alegre, duas em Santa Maria, duas em Cachoeirinha e duas em Novo Hamburgo, além de prisões efetuadas também em Alvorada, Pelotas, Panambi, Taquara, Canoas, Sapucaia, São Leopoldo e Viamão. Foram apreendidos diversos computadores, notebooks, HDs externos, pen drives e outros dispositivos de armazenamento que continham material referente a crimes de abuso e exploração sexual infanto-juvenil, além de armas, munições e quantidade de drogas.

Os alvos da Operação Luz na Infância 2 foram identificados através de um levantamento de informações pela Senasp e a Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil. Com base em informações e evidências coletadas em ambientes virtuais, a Polícia Civil, através da Delegacia para a Criança e Adolescente Vítima (DPCAV/Deca) instaurou inquéritos policiais e representou pelas buscas e apreensões junto ao Poder Judiciário, visando apreender computadores e dispositivos informáticos, que poderiam armazenar conteúdos de pedofilia, e a partir da constatação do crime, indiciar e prender os criminosos.

Investigações

As investigações realizadas pela Operação Luz na Infância 2 vinham sendo feitas há seis meses e são resultados do aprimoramento do trabalho de inteligência de segurança pública e atuação em modelo de força tarefa, que reúnem em um mesmo ambiente de trabalho policiais com expertise e capacitação na repressão aos crimes virtuais e de pedofilia, um cenário ideal para coletar e preservar evidências criminosas, garantindo, como consequência, a identificação e posterior condenação dos criminosos pela Justiça.

O presidente do CONCPC (Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil), delegado Emerson Wendt, destaca que essa é a maior "operação de investigação de pedofilia e combate aos crimes contra dignidade sexual de crianças e adolescentes no Brasil, especialmente porque usa a tecnologia e integração de informações".

OMS

A pedofilia é classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença de transtorno da preferência sexual. Pedófilos normalmente são pessoas adultas que tem preferência sexual por crianças pré-púberes ou no início da puberdade. O complexo ambiente da internet e a ausência de fronteiras no mundo virtual são elementos que propiciam terreno fértil à atuação desses criminosos.

A operação foi intitulada Luz na Infância por serem bárbaros e nefastos os crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes. “Luz na Infância significa propiciar às crianças e adolescentes vítimas de abuso e violência sexual, o resgate da dignidade, bem como, tirar esses criminosos da escuridão, para que sejam julgados à luz da Justiça”, disse a diretora do Deca, delegada Adriana Regina da Costa.

Fonte: Polícia Civil/Jorge Felipe/Fabiano Costa

Jorge Flores Paines 
Jornalista DRT-15097

Radialista DRT-5765

Quer Anunciar?

WhatsApp(55)98415-2150

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now