PARCEIROS APOIADORES

Condenado por homicídio é preso ao pedir certidão de antecedentes na PF em Livramento

Fonte: G1/RS

 

Um foragido, condenado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, foi preso na segunda-feira (20) em Sant'Ana do Livramento. José Carlos da Silva, de 46 anos, foi pedir uma certidão de antecedentes na Polícia Federal da cidade, quando os policias viram que ele tinha um pedido de prisão.

O homem foi encaminhado para o presídio Estadual de Livramento e está a disposição da Justiça para ser transferido para Caxias do Sul, onde o crime aconteceu, em 2004. Em juízo, o réu admitiu o crime na época, mas alegou legítima defesa.

Conforme o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, José Carlos aguardou o processo em liberdade. O julgamento ocorreu em 8 de maio de 2012, quando ele foi condenado a 15 anos de reclusão, em regime inicial fechado. Ele foi preso, teve progressão de regime e estava cumprindo a pena no semiaberto, antes de se tornar foragido.

 

G1 entrou em contato com a Defensoria Pública, que defende o réu, e aguarda retorno.

Segundo o Ministério Público (MP), em 5 de junho de 2004, o réu, por meio cruel e fazendo uso de um martelo e de uma barra de ferro, matou Joacir Toledo da Silva, na residência em que moravam juntos.

Segundo ainda o MP, José Carlos usou uma serra para destruir e ocultar o cadáver de Joacir. Esquartejou os membros da vítima, escondeu em uma sacola e colocou em baixo de um sofá que havia na residência. O resto do corpo foi enrolado em um edredom e levado até um matagal.

O réu relatou em juízo que se defendeu. Segundo José Carlos, quando Joacir chegou em casa, ele partiu para cima dele. O condenado acrescentou que pegou o martelo que Joacir trazia na cintura e arremessou contra ele, sem ver onde o atingiu.

José Carlos disse ainda que Joacir, principalmente quando usava drogas, era uma pessoa violenta e o ameaçava constantemente, dizendo que poderia fazer com ele o que já tinha feito com outros, informando que já tinha matado pessoas. O réu disse que não registrou ocorrência policial porque estava muito amedrontado.

O réu ainda acrescentou não se recordar de ter esquartejado os membros da vítima. E acrescentou que ficou mais de dez minutos girando dentro de casa sem saber o que fazer, até que decidiu se livrar do corpo de Joacir.

Compartilhar
RT
Please reload

Jorge Flores Paines 
Jornalista DRT-15097

Radialista DRT-5765

Quer Anunciar?

WhatsApp(55)98415-2150

© Copyright 2016 Correspondente O Repórter. Desenvolvido por Gath Soluções em TI

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now