PARCEIROS APOIADORES

Nova base de dados mapeará casos de violência nas escolas estaduais

Uma nova plataforma de monitoramento online dos casos de violência nas escolas estaduais foi lançada na tarde de quinta-feira (5/3) pela Secretaria da Educação (Seduc), por meio do Programa Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipave+). Durante o ato, realizado no Auditório do Ministério Público Estadual, houve ainda uma capacitação para gestores e professores de 80 instituições de ensino de abrangência do Programa RS Seguro, que vão aderir de forma experimental ao acompanhamento.

A nova plataforma, por estar estruturada com base no formulário do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), além de monitorar questões que envolvem violência escolar, fornecerá dados para o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), podendo disponibilizar informações com validade metodológica para outras secretarias de Estado e municípios.

Na abertura do evento, o secretário da Educação, Faisal Karam, ressaltou a importância do compartilhamento de dados e da interação entre as secretarias para a elaboração de políticas públicas mais ágeis e eficazes para a população. “O governo do Estado tem buscado, por meio de diversas iniciativas, tornar a gestão pública informatizada e interligada, possibilitando a criação de um sistema que permita acompanhar a trajetória do estudante e atender a suas necessidades”, explicou.

Conforme o representante do gabinete do vice-governador e secretário executivo do Programa RS Seguro, delegado Antônio Padilha, a transversalidade dos dados é fundamental para que ocorram ações conjuntas entre os órgãos governamentais. “Não adianta nós pensarmos somente em segurança, se não tivermos cuidados com a assistência social, com a saúde, com a educação e com todas as secretarias. Somente assim teremos a prevenção da violência como tema central e prioritário”, destacou.

A secretária adjunta da Saúde, Ana Lúcia Pires, falou sobre a importância de concretizar uma base de dados compartilhada que permita uma melhor elaboração de ações de governo. “Bons projetos acontecem quando há união de esforços, quando retiramos as especificidades dos assuntos e trabalhamos de forma conjunta e atenciosa sobre as questões. As nossas crianças e os nossos jovens são os mesmos. São as pessoas que circulam pelos serviços do Estado e que se transformam no nosso público-alvo para a implementação de políticas de educação, de segurança, saúde e assistência social”, disse.

A secretária de Trabalho e Assistência Social, Regina Becker, elogiou a iniciativa da criação da plataforma. “Este trabalho, promovido pelo Programa Cipave+, proporciona a possibilidade da construção de políticas públicas conjuntas. As alternativas para estas questões de violência envolvem uma atuação efetiva, sistêmica e permanente das diversas áreas do governo do Estado”, afirmou.

Nova plataforma

A coordenação da Cipave+, a Secretaria Estadual da Saúde (SES), por meio do Departamento de Ações em Saúde (DAS) e do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), campus Restinga, foram os responsáveis pela elaboração do novo sistema operacional de apuração da violência nas escolas.

Além disso, a parceria com as universidades possibilitará que os professores e assessores Cipave+ das coordenadorias Regionais da Educação participem de capacitações continuadas sobre a plataforma e seus conceitos, tendo disponível um curso online.

Texto: Diego da Costa/Ascom Seduc Edição: Secom

Jorge Flores Paines 
Jornalista DRT-15097

Radialista DRT-5765

Quer Anunciar?

WhatsApp(55)98415-2150

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now